domingo, outubro 10, 2010

O centro


A chegar ao centro da cidade ele fechou o livro. Lia sobre a viagem espiritual de uma mulher.
Espiritual e intelectual.

Tanta gente em tantos lugares a lutar contra o seu coração, a procurar o seu coração.
Ele questionou se de verdade não sabiam onde estava. Se não sabiam que ele devia mandar sempre.

Pensou sobre a quantidade de tempo dedicado a busca e controlo de algo que esta ali,
no centro de tudo. Algo que ele sabia tão bem onde esta. Mas depois lembrou-se de uma parte
do livro que referia que algumas pessoas parecem saber desde o primeiro momento da sua
existência onde esta o seu coração, a sua mente e o seu ser. Isto trouxe-lhe alguma tranquilidade.
Isto talvez explicasse porque ele não tinha estas duvidas, esta necessidade de encontrar o
líder da sua vida. O seu coração. Um que aceitava sempre ouvir a mente, mas que nem sempre
lhe fazia caso.

Meses, anos, vidas inteiras dedicadas a procurar o que ele encontrou por não procurar. Sabia
que dificilmente conseguiria ajudar alguém a encontrar esse centro. Mas algum dia acabaria por
faze-lo. As vezes não se consegue explicar a graça das coisas.

1 comentários:

Lean disse...

Eu percebo o que vosse esta a dizer

| Top ↑ |